fbpx

Conselho de Vida Que Gostaria de Ter Ouvido aos 20 Anos

conselho de vida

Um conselho de vida aos jovens (de todas as idades) que saibam que nunca é tarde para transformar

Esta é uma carta fictícia que gostaria de ter escrito ao jovem Bruno Juliani, nos seus 20 anos. É uma carta que gostaria de ter lido antes, com um conselho de vida do que as experiências me ensinaram depois.

Espero que este conselho de vida sirva a você também que me acompanha. A você e outros tantos “Brunos” com idades e sonhos de garotos recém-saídos da faculdade. Eis minha carta para mim mesmo no passado e que compartilho agora com vocês:

conselho de vida

Olá, Bruno,

Como vai?

Aqui quem fala é você próprio. Você, porém, depois de ter tropeçado algumas outras vezes. Você depois de ter aprendido com as quedas, a não somente se levantar, mas também a olhar mais longe, andar mais à frente, viver de transformações.

Você vai subir algumas escadas ainda, mas irá notar que algumas irão te levar para os andares que você não pretende estar. Mas não desanime e também não queira evitá-las: os lugares errados também nos ensinam muito sobre onde realmente não queremos ir e isso, por sua vez, nos ajuda a entender exatamente para onde queremos caminhar.

Jovem Bruno, você irá aprender muito mais sobre “empreendedorismo” do que jamais aprendeu até aqui. Ao passar de cada dia irá entender que todos nós empreendemos de alguma maneira e que o sucesso não está na estabilidade, mas muito mais em nossa capacidade de administrar riscos.

Só que veja, isso não é um conselho de vida que pretende seguir aqueles clichês de autoajuda sobre como devemos aprender a nos levantar. Me importa mais lhe dizer sobre como devemos aprender quais atitudes tomar após nos levantar. É sobre não lamentar as quedas e deixá-las no passado, que é o lugar delas, e sobre olhar mais além, com mais maturidade, para onde queremos chegar. É um conselho de vida sobre dar passos estratégicos a partir de AGORA, o tempo presente, rumo ao andar de vida esperado.

Sabe, Bruno, a vida é um grande “mercado de opções” (você saberá do que estou falando): você poderá ganhar muito dela rapidamente – mas perder tudo rapidamente também. Nunca acredite que você já aprendeu todas as estratégias desse grande jogo que é viver: você sempre irá aprender algo novo e ganhar novas cicatrizes. Mas, sim, as quedas também irão ensiná-lo a como se levantar. Mais que isso: elas te ensinarão a como voar.

Você irá aprender que ajudar as pessoas com seu trabalho é transformador para o coletivo. No entanto, não será nada exageradamente romântico também: você poderá muito bem fazer disso a sua profissão, captar recursos a partir disso e poder viver confortavelmente enquanto ajuda outras pessoas com históricos interessantes a fazerem o mesmo que você.

Ninguém, afinal, sabe o que é melhor para você do que você próprio. Este é meu principal conselho de vida para você. É você quem melhor sabe onde quer chegar, como alimentar sua alma e como pode incentivar os outros a seguirem os sonhos que tiverem.

Você não quer uma vida comum, então, não se sinta obrigado a seguir todas as fórmulas comuns praticadas na sociedade: a idade certa para se casar, ter filhos, terminar a faculdade, ter um emprego estável, guardar dinheiro na poupança ou comer macarronada aos domingos. Faça apenas aquilo que lhe der prazer, que for pertinente ao caminho que molda os seus sonhos – e permita-se correr alguns riscos.

Seja responsável e comprometido com seus sonhos, mas sem se tornar rígido. É importante ter métodos para se chegar onde quer, mas lembre-se de nunca ser duro demais consigo próprio e nem com os demais.

Mantenha a flexibilidade, bom humor e “jogo de cintura”, como dizem, para que seu sonho não se torne um peso (mais uma tarefa social a ser cumprida) ao invés de uma realização pessoal.

Você irá tropeçar ainda, como te disse neste pequeno conselho de vida. Mas não faz mal: eu não vou tentar te impedir de cometer esses tropeços. Eles não serão menos importantes que seus momentos de vitória. Pelo contrário, eles podem apontar o caminho para a vitória.

Você acha que estou louco? Talvez. Só que é a loucura deste conselho de vida, de aprender com os erros é que me fará (e te fará) voar muito mais longe no futuro.

O coaching é um voo alto que você ainda irá fazer. E você vai descobrir como é legal ajudar outras pessoas a também voarem a partir de suas próprias quedas. Não tenha medo, jovem padawan: as coisas são muito mais bonitas vistas do alto!

Atenciosamente,

O mesmo Bruno Juliani, mas escrevendo a partir do andar que sempre quis estar.

Como disse, este é um conselho de vida que gostaria ter dito a mim mesmo aos 20 anos e vocês podem partilhar dele também. Não precisamos ter 20 anos para entender que nós mesmos sabemos onde queremos estar e que precisamos aprender sempre com nossos erros.

Nunca é tarde demais para aprender. Você, leitor, sabe disso, não é mesmo?

Fundamental mesmo é querermos uma vida com sonhos, onde possamos ser felizes no aspecto pessoal e profissional. No sonho intuitivo e prático. Onde possamos viver uma vida vista do alto, a partir do andar que aspiramos.

Mas, e você, em que andar você se encontra agora?




Comments

  1. Linda carta, bastante sensibilidade na escrita e no temo, fundamental mesmo é querermos uma vida com sonhos, sem sonhos estamos mortos em nós mesmos!

  2. Muito boa esta carta.

    No momento estou no subsolo, mas pretendo chegar no térreo para poder ter condições de investir mais na minha carreira, por que o meu sonho é estar nas alturas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.